domingo, 1 de julho de 2012

Dodô embarca para a Itália e se apresenta a Roma

O lateral esquerdo Dodo, ex-Corinthians, embarcou neste domingo para a Itália para se apresentar a Roma, seu novo clube. O jogador assinou um contrato com a equipe por 5 anos.


José Rodolfo Pires Ribeiro, de 20 anos, teve passagens pelo Corinthians e Bahia, onde jogou até a última temporada.

O empresário do jogador, Junior Pedroso, mostrou sua satisfação pela transição do jogador para a Roma, onde acredita que se tornará um dos melhores atletas da posição em breve.

"Estou muito feliz por participar desse momento, pois tenho a plena certeza que ele vai se tornar um dos melhores na sua posição em pouco tempo e vai conseguir a tão sonhada convocação para Seleção Brasileira", declarou.

sábado, 23 de junho de 2012

Rodrigo Caetano revela negociações com a Roma sobre Marquinho

Matéria de Jessica Corais

A situação envolvendo Marquinho, Roma e Fluminense pelo menos ao que parece vem se encaminhando. O diretor executivo de futebol do clube, Rodrigo Caetano, em declaração exclusiva a mim, disse que as negociações entre as três partes estão ocorrendo.

"As coisas com relação a Roma e Marquinho estão caminhando. Nós já estamos em fase de negociação. Até o final deste mês a Roma tem a opção de compra, mas nós já temos tido muitas consultas sobre ele." declarou com exclusividade.

A expectativa é de que até a próxima semana Marquinho assine um novo acordo com a Roma.

Ainda em declaração a mim, o empresário do jogador, Marcio Rivellino, revelou detalhes sobre a situação de Marquinho.

Confira abaixo a entrevista:

1- Como estão as negociações envolvendo Marquinhos, Roma e Fluminense?
A Roma tem até o dia 30 para dar uma resposta a nós se deseja permanecer com o jogador para sabermos se ele continua no clube ou volta ao Fluminense. Ele está de férias agora no Brasil, descansando. Até o dia 30 de junho ele tem contrato com a Roma, então não podemos neste momento fazer nada. Estamos presos ao clube. Estamos aguardando um posicionamento da Roma quanto a essa situação. Ele tem muito carinho pela Roma, assim como com o Fluminense. Não tem problema nenhum em voltar ao Rio de Janeiro, mas vamos esperar essa situação.

2- O que falta para elas serem concluidas? Existe um prazo para que elas sejam concluídas?
A Roma tem até o dia 30 para se manifestar e estamos aguardando. A torcida, o clube, gostaram do Marquinho, porém tem esse prazo de até o dia 30 para que eles se manifestem se querem ou não ficar com o jogador. Eles fazendo isso, se manifestando pela permanencia do jogador, sentarei com o Fluminense para conversar e apresentar essa proposta. Existe um valor já estabelecido em contrato para a Roma pagar se quiser contratar o jogador em definitivo.

3- Como foi a adaptação do Marquinho a Roma?
O Marquinho é um garoto excelente. Ele se adaptou muito rápido. Chegou a Roma com um mês e meio sem jogar e em menos de três semanas já estava a disposição do treinador. Ele adorou a cidade, o país e o clube. Adorou seus companheiros de equipe. Considero que a passagem dele pelo clube foi boa.

Creio que se estivesse o treinador antigo da Roma não tenho dúvidas que o clube continuaria com o Marquinho, até porque ele vinha jogando de titular muitos jogos. Mas com a chegada de um treinado novo é preciso avaliar se querem ou não continuar com o jogador.

4- Ele quer permanecer mesmo no clube?
Marquinho gostou muito de Roma. Fez amigos, gostou da cidade e quer continuar na Roma, mas se fosse para ir para outro clube com um bom plano de carreira teremos que avaliar a situação.

5- Se ele renovar com a Roma, já se sabe o tempo de contrato?
Está tudo pré-estabelecido em contrato. É uma questão sigilosa, mas está tudo já estabelecido caso a Roma exerça o poder de compra do jogador.

6- Outros clubes já fizeram sondagem pelo Marquinho?
Na Itália, por causa do contrato dele com a Roma, não podemos abrir negociação com qualquer clube antes que a Roma se manifeste querendo a permanencia ou não do jogador. Até mesmo por uma questão de ética não falaria com nenhum clube neste momento da Itália até essa situação com a Roma se resolver. Recebemos sondagens de clubes da França, Catar e China pelo Marquinho, mas não posso negociar sem antes escutar a Roma.

Jessica Corais: Matérias para a Europa

Abaixo algumas de minhas matérias para o site FcInterNews:



Publicado também pelos sites: SportMediaSet, TuttoMercatoWeb, Virgilio e Il Sussidiario.
Publicado também nos jornais: La Gazzetta dello Sport e Corriere dello Sport


Publicado também pelos sites: MSN Sports, Tuttomercatoweb e La Gazzetta dello Sport


Publicado também pelos sites: Football-Italia, Football Press, Tribal Football
Publicado também pelos jornais: La Gazzetta dello Sport e Corriere dello Sport



segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Medo da Espanha e Pós-medo da Espanha, a Inglaterra vence

Uma das várias partidas entre seleções ocorridas neste último final de semana foi o clássico entre Inglaterra e Espanha, realizado em Wembley, que terminou em vitória por 1 a 0 para a seleção inglesa.

Para explicar o que foi este jogo, podemos detalha-lo em dois períodos: “medo da Espanha” e “pós-medo da Espanha”.

No período “medo da Espanha” ocorrido no primeiro tempo, a Inglaterra atuou extremamente defensiva, vendo o seu adversário tocar a bola e tentando sair nos contra ataques principalmente com Walcott pelo lado direito. Já a “Fúria” por sua vez não tinha toda aquela desenvoltura que a fez campeã do mundo. Sentia falta de um 9 de ofício para concluir as jogadas a gol, num ataque que tinha Villa e David Silva, nenhum deles centroavante.

A tônica do primeiro tempo, partindo desta análise, foi uma Inglaterra cautelosa e respeitadora, mesmo jogando em casa, e uma Espanha que procurava imprimir seu jogo habitual, mas sem penetração e conclusões a gol.

Na segunda etapa, no período “pós-medo da Espanha”, o panorama da partida mudaria. Pouco, é verdade, mas mudaria. A seleção inglesa resolveu jogar e não se contentou em ficar apenas na defensiva, percebendo que o monstro espanhol atual campeão do mundo não era tão feio quanto parecia. A Inglaterra, timidamente, saiu mais para o jogo e a premiação para isso foi o gol de Lampard, logo aos 4 minutos.

A partir daí, a Espanha padeceu sobre seu próprio nervosismo enquanto a Inglaterra fez o que é típico de suas tradições históricas, ou seja, a marcação. Ela marcou e marcou demais, viu Fabregas perder inúmeras oportunidades junto com seus companheiros, e ainda viu o goleiro inglês Hart numa noite inspirada.

Numa seleção espanhola com pouca objetividade, a Inglaterra honrou suas tradições de primeiro marcar e depois atacar e não temer ninguém, para quebrar um retrospecto de 10 anos sem vencer a Espanha e mostrou que uma grande seleção pode respeitar a outra sim, mas agora temer, isto jamais.


Abraços a todos,
Jessica Corais

sábado, 12 de novembro de 2011

"Seleção" Argentina 1 x 1 Bolívia

No dia 11/11/2011, Argentina e Bolívia se enfrentaram em Buenos Aires, no estádio Monumental de Nuñez, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo e bom, pelo menos o resultado do confronto foi condizente com a data, 1 a 1, só que evidentemente os argentinos queriam muito mais.

A proposta de jogo argentina e boliviana era a tradicional. Um só atacava e o outro só se defendia, respectivamente. A Argentina tentava, chutava, mas não conseguia colocar a bola no fundo da rede. O tempo foi passando, o nervosismo aumentando já que jogava em casa diante de sua calorosa torcida. Nervosismo este que só aumentou com os dois gols anulados ambos com Higuaín, um deles erradamente, ainda no primeiro tempo, provocando a ira dos hermanos.

A “vingança” contra o trio de arbitragem apareceu no intervalo. Quando na volta deles ao gramado o sistema de irrigação foi ligado e eles acabaram levando um grande banho, para o delírio da torcida.

Voltando ao jogo, foi no segundo tempo que os pontos fracos da Argentina ficaram ainda mais evidenciados e o duro golpe aconteceu. A Bolívia passou a contra atacar de maneira mais eficiente, talvez percebendo a fragilidade defensiva do adversário e a aposta deu certo. Falha de Demichelis e gol do brasileiro naturalizado boliviano Marcelo Moreno.

A dona da casa empatou logo em seguida com Lavezzi, mas era preciso muito mais que isso para virar o jogo.

Talvez esse “algo mais” fosse o enorme distanciamento entre o meio e o ataque argentino, que fez com que a construção das jogadas não ocorresse de maneira eficiente, ou talvez a fraquíssima partida daquele que deveria ser a estrela da companhia, Lionel Messi. Já os mais supersticiosos podem apontar o retrospecto recente dos argentinos contra os bolivianos, de dois empates e uma derrota nos últimos três jogos, como fator para o placar.

Mas fato é que a Argentina não consegue corrigir seus erros e engrenar. Não consegue reverter seus talentos numa equipe competitiva e fica refém apenas do lampejo de seus jogadores esperando que eles num momento de brilho façam o tão desejado gol.

A diferença para esta mudança passa, sem sombra de dúvidas, por uma nova mentalidade. Onde é necessário construir uma equipe argentina com estrelas, e não apenas estrelas naquilo que se diz ser a equipe argentina.

Abraços a todos,
Jessica Corais

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

L’Hospitalet e a vontade de parar o Barcelona

Nesta quarta-feira (9), o Barcelona entrou em campo contra o L’Hospitalet, time da terceira divisão do futebol espanhol, em partida de estreia pela Copa do Rei. A vitória foi um magro 1 a 0 fora de casa, com gol de Iniesta aos 42 do primeiro tempo.

Mesmo atuando com um time misto, sem Messi, Valdés e Daniel Alves, o Barça não perdeu suas características e dominou a partida durante todo o jogo. Contudo, ao contrário das partidas habituais, o domínio territorial e na posse da bola não se converteu em chances. Foram apenas oito chutes acertados a meta adversária.

A pouca objetividade e o placar podem ser explicados por dois aspectos principais: o primeiro é que Messi faz falta para qualquer time do mundo, mesmo que esse time tenha alguns dos melhores jogadores do planeta. O segundo ponto a ser considerado foi a marcação exercida pelo L’Hospitalet.

A disposição física em exercer uma marcação pressão, sem dar qualquer espaço durante todos os minutos da partida deve ser exaltada. É muito fácil para qualquer comentarista esportivo adivinhar qual é a proposta de jogo de cada adversário do Barcelona, a marcação. No entanto, o que muitas vezes é visto, é uma marcação forte em alguns minutos e depois um natural relaxamento no decorrer do tempo.

Entretanto, isso não aconteceu com o L’Hospitalet que atuou sempre na defensiva, raramente se lançando ao ataque, mas marcando sob pressão intensa em 90 minutos. Esta tática não só dificultou muito as coisas para o barça, como também permitiu que aquela goleada esperada pela equipe catalã não acontecesse. Defesa esta que foi exaltada por Pep Guardiola, treinador do Barcelona, após o jogo.

O autor do único gol da partida, Iniesta, declarou que a equipe não está acostumada a atuar em gramado artificial, usado no palco do confronto. Claro que o gramado influência, porém este é apenas um pequeno percentual de “culpa” do baixo desempenho do Barcelona nesta partida. Mais realistas são as teses de uma Messi-dependência e a ótima marcação do L’Hospitalet

O jogo da volta no Camp Nou está marcado para o dia 21 de dezembro e mesmo que Guardiola adote um discurso cauteloso afirmando que a classificação ainda está em aberto, só em caso de uma mega zebra o Barcelona não se classifica para a próxima fase.

Abraços a todos,
Jessica Corais

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Por Jessica Corais: Barcelona pede desculpas ao Vasco

Confira abaixo a matéria assinada por mim a partir do meu contato com o Barcelona:

Após o "esquecimento" do site oficial do Barcelona na não inclusão do Vasco como um dos maiores clubes brasileiros em uma publicação recente, o site SuperVasco entrou em contato com o clube catalão e apresentou a história do Gigante da Colina.

Roger Boguña, um dos assessores de imprensa do Barcelona, pediu desculpas à imensa torcida vascaína pelo ocorrido:

"Lamentamos a falha e ela será corrigida", declarou o assessor.

Depois deste fato, o Barcelona corrigiu a informação.


Esta matéria também foi publicada pelo site Fanáticos por Futebol:

O Barcelona pediu desculpas de forma oficial ao Clube de Regatas Vasco da Gama por não incluir a equipe carioca entre os maiores clubes brasileiros, e o responsável pelo pedido de desculpas foi um dos sites do clube no Brasil, o Supervasco.

Em contato com um dos assessores de imprensa do Barcelona, Roger Boguña, os responsáveis pelo site brasileiro explicaram um pouco da história do clube e logo receberam um pedido de desculpas do assessor. "Lamentamos a falha e ela será corrigida", declarou o assessor.

Prontamente o Barcelona divulgou novamente a notícia com a correção realizada e a inclusão do Vasco da Gama no contexto do texto original. Confira abaixo o trecho da versão oficial do comunicado que cita o time carioca.

"Fundado en 1909, el Internacional de Porto Alegre empezó su época dorada en los años cuarenta del siglo pasado. El equipo de Porto Alegre, junto con el São Paulo, Santos, el Vasco da Gama, el Flamengo, el Palmeiras y su gran rival ciudadano, el Gremio, son los grandes clubes de Brasil, que dominan y han dominado históricamente los campeonatos del país con más Mundiales a su palmares".

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP