quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Com nova filosofia, Roberto Mancini chega ao Manchester City no lugar de Mark Hughes


No último final de semana o que todos já davam como certo realmente se confirmou. Mark Hughes foi demitido do comando técnico do Manchester City. Para seu lugar, chega o italiano Roberto Mancini, ex-Inter de Milão.

Hughes ficou no cargo durante 18 meses. Nesta temporada, fez 28 jogos e obteve 14 vitórias, 10 empates e quatro derrotas. Na Premier League, o Manchester City ocupa a sexta colocação. Enquanto na Carling Cup, vai disputar as semifinais.

Os números até que não são tão ruins, mas para um clube que investiu cerca de R$ 585 milhões nesta temporada. Estes dados são bem abaixo do esperado e da expectativa que foi gerada em torno do City.

A filosofia que Mark Hughes implantou no Manchester City era de armar um time bem ofensivo, no 4-2-3-1, com dois pontas bem abertos e com um centroavante dentro da área. Entretanto, se o ataque não era um dos piores, a defesa deixava muito a desejar e este foi o seu ponto fraco durante sua passagem pelo Citizens. Além da série de empates nesta temporada.

Outro ponto fraco era o currículo dele como treinador. Treinou o País de Gales por cinco anos, depois dirigiu o Blackburn por quatro temporadas e só. Com isso, o que se via era que as pretensões do City era muito maiores do que sua capacidade como técnico neste momento. Já que o planejamento era de brigar pelo título ou no mínimo alcançar uma vaga para a próxima Champions League.

Então, para atingir todas estas expectativas, Roberto Mancini foi contratado. Treinador multi-campeão pela Inter de Milão e que já conquistou quase todos os campeonatos possíveis na Itália, mas que precisará adaptar seu estilo de armar sua equipe, ao modo inglês de jogar futebol.

Mancini, enquanto esteve na Inter, gostava de armar seu time muitas vezes priorizando a marcação e é adepto do esquema 4-3-1-2. Porém pelo City ter ótimos jogadores ofensivos, dificilmente dará certo este esquema e ele sabe disso, tanto que em sua entrevista coletiva já declarou que irá montar sua equipe jogando pra frente, mas tomando o máximo de cuidado na defesa.

Para fechar, existe uma enorme diferença entre a escola de futebol italiana e a inglesa. A principal questão é saber trabalhar as diferenças e conseguir tirar o máximo de proveito dos ótimos jogadores do City, pois um bom elenco isso tem e treinador que tire o melhor de cada um destes atletas, também.

Abraços, Jessica Corais

P.S: Para saber as principais notícias desta semana no Futebol Inglês, clique aqui e confira o meu post para o blog Futebol ao Cubo - Premier League.

6 comentários:

Stéfano 23 de dezembro de 2009 13:51  

Bom post!
É interessante pensar sobre Manchester City e seus gastos milhonários. O time tem muitos jogadores de qualidade, mas não necessariamente isso significa que o time irá bem. No futebol existe algo chamado conjunto, e isso, ao menos até onde sei, dinheiro não compra.
O primeiro técnico não vinha agradando muito. Mas não sei, tenho a sensação de que ficou para as pessoas que pelos jogadores que tinha, o City já poderia ser comaprado a um Milan, um Liverpool. Não funciona asism, da noite pro dia.
Vamos ver como será com o novo treinador, que se não é agrantia de sucesso, já tem um nível mais próximo do que sonha em ser o City.

Anderson Santos 23 de dezembro de 2009 16:18  

O Mancine terá que equilibrar os egos também. Robinho, Tévez, Adebayor. Só aqui temos três atacantes.

Não acho que ele seja o técnico para esse momento do City, parece-me que aceita interferência de jogadores.

Leonardo Resende 23 de dezembro de 2009 18:54  

Fala Jéssica!

Excelente post!!! De fato Mancini e Hughes tem estilos totalmente opostos. Um é mais ofensivo e outro mais defensivo.

Mas acho que, o galês era mais bem visto pelos jogadores do que o Mancini, que chegou e já arrumou confusão com o Bellamy (sempre ele!) por aumentar a carga de treinos... acho que vai ter problema de adaptação aí...

Visite também o Rio Futebol, se puder!

Grande abraço e boas festas!!

Leonardo Resende
Rio Futebol
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com

Claudio Henrique 23 de dezembro de 2009 22:01  

Nunca gostei do Mark Hugs, mas também não gosto muito do estilo do Mancini. Estava na hora mesmo de mudar o comandante do clube, mas espero que não se dê bem, já que é rival do United.


Abraços

carol sakurá 25 de dezembro de 2009 11:26  

Feliz natal!
Beijos!

João Hugo 6 de janeiro de 2010 00:22  

Se tivesse o Hughes ou um cone na beira do campo de jogo, não faria diferença alguma. Roberto Mancini chegou para mudar e para agregar valor ao Projeto do Sheik, de LONGO PRAZO.

Espero que possamos ganhar a Carling Cup nessa temporada e ficarmos entre os 4 para irmos pra UCL.

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP