sexta-feira, 13 de maio de 2011

Matéria publicada na Placar: Os segredos por trás do Barcelona de Pep Guardiola

Em homenagem ao título do Campeonato Espanhol conquistado pelo Barcelona, veja abaixo a minha matéria para o site Placar, chamada: Os segredos por trás do Barcelona de Pep Guardiola.
Clique aqui e confira a matéria original publicada no site Placar

Os segredos por trás do Barcelona de Pep Guardiola

Ele tem só 40 anos e dirigiu um único time em toda sua carreira como treinador até agora, mas possui um currículo incontestável e comanda aquele que é considerado o melhor time do planeta. Para muitos, Pep Guardiola é o grande mestre deste Barcelona envolvente que encanta os apaixonados pelo bom futebol. Entretanto, como surgiu e foi idealizado esse time de soberania na posse de bola e que reúne fãs pelos quatro cantos deste planeta?

Para começar a responder esta pergunta, voltaremos ao ano de 2008 quando Pep, até então técnico do Barcelona B, foi convidado para substituir o holandês Frank Rijkaard no comando técnico da equipe principal. O nome de Guardiola foi uma aposta do até então diretor esportivo da equipe catalã, Txiki Begiristain, baseado na sua história no clube e também na campanha com o barça B.

Logo em sua apresentação, Pep Guardiola já mostrou uma daquelas que se tornariam suas marcas no futuro: sua personalidade forte. Anunciou que não queria mais três estrelas do clube, que eram o luso-brasileiro Deco, o camaronês Samuel Eto’o e o brasileiro Ronaldinho Gaúcho. Na ocasião, ele declarou que essa medida era para construir “um Barcelona forte e que todos se sentissem importantes dentro do elenco”.

Essa atitude foi contestada por muitos no início, mas deixou claro que Guardiola não queria apenas jogadores renomados, mas sim atletas que pensassem e jogassem em prol do grupo. Pensamento este que permanece até hoje.

Metodologia nos treinamentos: linha dura
Logo em seu início no comando do Barcelona, Guardiola, que foi meio campista em seus tempos como jogador, mostrou nos treinamentos sua linha de pensamento: fazer um time envolvente e com posse de bola, contudo objetivo. Criou nos seus jogadores o costume de fazer qualquer tipo de treino, mesmo os físicos, com a bola ao lado, para que, segundo ele, seus atletas pudessem criar uma familiaridade com a pelota.

Utilizava e até hoje utiliza treinamentos de curta duração, com cerca de uma hora, marcado por um ritmo intenso. Seus treinos são baseados nos ensaios de marcação pressão sobre o adversário quando não tem a posse de bola para poder obtê-la novamente, toques curtos e bolas enviadas por entre dos defensores rivais, além de ensaiar a movimentação de seus jogadores para poder deslocar o adversário.

A rigidez de Pep Guardiola nos treinamentos também pode ser refletida fora dele. O treinador criou regras como a de que todos os jogadores teriam que tomar café da manhã, almoço e até mesmo jantar no clube. Outra notícia que chamou a atenção é a de que o técnico catalão ou um membro do Barcelona ligava para os atletas depois da meia noite para poder se certificar de que estivessem realmente em suas residências.

Caso fossem descumpridas essas regras, o jogador pagaria severa multa variando de 500até 6 mil euros.

Títulos e a “fórmula do sucesso”
Os resultados de treinamentos incansáveis e baseado na busca pelo querer sempre melhorar, apareceram logo em seu primeiro ano no clube com as conquistas da Copa do Rei, o Campeonato Espanhol, a Supercopa da Espanha, a Liga dos Campeões da UEFA, a Supercopa Europeia e Mundial de Clubes da FIFA. Feito que rendeu a ele o título de técnico estreante mais vencedor, superando seu “mestre” Johan Cruijff. Já nos anos seguintes, ganhou mais um título nacional, da Supercopa da Espanha e da Europa.

Todas essas conquistas, no entanto, jamais seriam obtidas apenas com treinamentos exautivos. Era também preciso ter mão de obra qualificada para tal função e Guardiola soube aproveitá-la muito bem através dos prata da casa Xavier Hernández, Andrés Iniesta, Gerard Piqué, Pedro Rodríguez, Bojan Krkić e da estrela da companhia Lionel Messi.

Aliando o grande aproveitamento dos jogadores oriundos da base do Barcelona, somado aos atletas de outros clubes minuciosamente escolhidos, seus métodos de treinos e claro, sua vasta experiência como excelente jogador que foi dentro das quatro linhas e mais seu estilo perfeccionista, transformou o barça numa equipe não só vencedora, como também envolvente e que transforma suas partidas de simples jogos de futebol para torcedores, em um espetáculo mundial para milhões de espectadores.

1 comentários:

David J. Pereira 19 de maio de 2011 18:45  

Gosto deste blogue!

Podes adicionar o meu aos links sff?

http://davidjosepereira.blogspot.com/

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP