segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Medo da Espanha e Pós-medo da Espanha, a Inglaterra vence

Uma das várias partidas entre seleções ocorridas neste último final de semana foi o clássico entre Inglaterra e Espanha, realizado em Wembley, que terminou em vitória por 1 a 0 para a seleção inglesa.

Para explicar o que foi este jogo, podemos detalha-lo em dois períodos: “medo da Espanha” e “pós-medo da Espanha”.

No período “medo da Espanha” ocorrido no primeiro tempo, a Inglaterra atuou extremamente defensiva, vendo o seu adversário tocar a bola e tentando sair nos contra ataques principalmente com Walcott pelo lado direito. Já a “Fúria” por sua vez não tinha toda aquela desenvoltura que a fez campeã do mundo. Sentia falta de um 9 de ofício para concluir as jogadas a gol, num ataque que tinha Villa e David Silva, nenhum deles centroavante.

A tônica do primeiro tempo, partindo desta análise, foi uma Inglaterra cautelosa e respeitadora, mesmo jogando em casa, e uma Espanha que procurava imprimir seu jogo habitual, mas sem penetração e conclusões a gol.

Na segunda etapa, no período “pós-medo da Espanha”, o panorama da partida mudaria. Pouco, é verdade, mas mudaria. A seleção inglesa resolveu jogar e não se contentou em ficar apenas na defensiva, percebendo que o monstro espanhol atual campeão do mundo não era tão feio quanto parecia. A Inglaterra, timidamente, saiu mais para o jogo e a premiação para isso foi o gol de Lampard, logo aos 4 minutos.

A partir daí, a Espanha padeceu sobre seu próprio nervosismo enquanto a Inglaterra fez o que é típico de suas tradições históricas, ou seja, a marcação. Ela marcou e marcou demais, viu Fabregas perder inúmeras oportunidades junto com seus companheiros, e ainda viu o goleiro inglês Hart numa noite inspirada.

Numa seleção espanhola com pouca objetividade, a Inglaterra honrou suas tradições de primeiro marcar e depois atacar e não temer ninguém, para quebrar um retrospecto de 10 anos sem vencer a Espanha e mostrou que uma grande seleção pode respeitar a outra sim, mas agora temer, isto jamais.


Abraços a todos,
Jessica Corais

2 comentários:

Cleber Soares 14 de novembro de 2011 16:32  

Jessica,
A seleçao inglesa aos poucos vem retomando seu espaço, acho que ela demorou muito a saber diferenciar a qualida de seu campeonato com a qualidade dos seus atletas.

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

Luciano Mayeda 15 de novembro de 2011 18:20  

A Espanha passa a clara impressão de que a geração cumpriu sua missão(Eurocopa e Copa) e agora começa a entrar em declínio. Não tem sido a mesma depois do mundial da África do Sul.

Beijo.

http://deolhono-lance.blogspot.com/

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP